sexta-feira, 30 de julho de 2010

Índios, do CIR, querem criar Estado independente!

Prezados amigos

Aquilo que todos nós sabíamos que ia acontecer já está acontecendo.

Os indígenas acobertados pela Igreja leia-se CIR e pelo próprio governo traidor que está entregando as nossas terra para os estrangeiros que estão por trás de toda essa manobra já estão implantando o terror princípios de outras ações.

Há necessidade que a sociedade se mobilize e não deixe acontecer o pior, como está deixando, no caso do governo lula e da candidata Dilma que querem transformar e acabar com esse pais, criando antagonismos entre as diversa culturas , coisa que nunca tinha acontecido no pais.


Você será responsável se permitir que essas excrescências consigam implantar um regime de terror.

Os índios já estão implantando e poderão aliciar-se as FARC.

Se duvidarem venha para a Amazônia e vivam aqui por algum tempo.


Abraço fraterno

Castello Branco


Índios, do CIR, querem criar Estado independente!

Por Hiram Reis e Silva, Porto Alegre, RS, 26 de julho de 2010.

"Uma raça, cujo espírito não defende o seu solo e o seu idioma, entrega a alma ao estrangeiro, antes de ser por ele absorvida”. (Rui Barbosa)

- Planalto ordena que governo, mídia e militares se calem sobre criação de Estado indígena independente em RR

Por Jorge Serrão, segunda-feira, 26 de julho de 2010

“O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República não vai se pronunciar oficialmente sobre um relatório reservado que recebeu da Agência Brasileira de Inteligência, advertindo sobre a real possibilidade de quebra da integridade do patrimônio nacional, com o movimento para a criação de um Estado indígena independente em Roraima. A mídia amestrada pelas verbas públicas do governo e suas estatais recebeu orientações do Palácio do Planalto para omitir do noticiário ou não jogar uma carga editorial pesada sobre o assunto. Os militares da ativa também devem manter silêncio obsequioso sobre o caso. (...)

Tititi nas Legiões

O caso de Roraima já gera profundo desconforto na área militar. Ainda mais depois que vazou a denuncia que a Polícia Federal investiga possíveis abusos de violência, invasão a residências, prisões ilegais, tortura e até homicídios praticados pela milícia indígena auto intitulada “Polícia Indígena do Alto Solimões (Piasol)”.

O próprio Exército, a ABIN e a Polícia Federal também investigam uma suposta ligação dos indígenas com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), (...) No Palácio do Planalto, a ordem gerada pelo Ministério da Defesa para o Forte Apache é que o Comando Militar da Amazônia não intervenha.

Mesmo diante do caos institucional e da ameaça à Garantia da Lei e da Ordem, gerado pelos milicianos indígenas e pelo risco concreto de perda de soberania do Brasil nas terras indígenas criminosamente homologadas pelo espírito entreguista da turma do ‘$talinácio’ e seus socialistas fabianos”.

- Índios do CIR Estupram Jovem para Submeter Comunidade

A repercussão pública sobre a ‘Crise de Roraima’ demonstra que grande parte da sociedade brasileira e roraimense desconhece a gravidade do que esta ocorrendo na ‘Terra Indígena Raposa e Serra do Sol’ (TIRSS). O Conselho Indígena de Roraima (CIR) que, anteriormente, direcionava sua ira contra centenas de fazendeiros que ocupavam legitimamente aquelas terras, depois da demarcação transferiu sua campanha de terror contra os membros da ‘Sociedade dos Índios Unidos do Norte de Roraima’ (SODIUR).

- Índios do CIR Estupram Jovem para Submeter Comunidade

“Eu sou anti ONG picareta como o CIR. Isto eu não tenho dúvida de dizer, pois o CIR comprovadamente é uma entidade, uma instituição desonesta, comprovado pela Controladoria Geral da União”. (Senador Mozarildo Cavalcanti)

“Recebi a denúncia de uma pessoa fidedigna e nunca tive dúvida de que o CIR ia mudar este esquema de domínio. Apenas lamento que o procurador da FUNAI, ao invés de procurar averiguar a denúncia, ele vem com a história de me interpelar. O procurador não tem autoridade para me interpelar”, afirmou o Senador Mozarildo Cavalcanti, referindo-se a qualquer ação que venha a ser protocolada pelo procurador da FUNAI, Wilson Précoma, sobre a denúncia que o senador fez de estupro de uma indígena na Maloca do Contão por índios do CIR.

O senador afirmou: “... a ninguém é permitido cometer delitos porque está numa reserva indígena, se baseando ou se escudando na questão de usos e costumes. Na realidade, o que aconteceu lá no Contão foi um estupro contra uma jovem índia, contra uma pessoa humana com a finalidade de amedrontar uma comunidade, para se submeter ao comando do CIR”.

- Celerados Aterrorizam Cidadãos no Território Brasileiro!

Em entrevista, no dia 10 de maio de 2008, à rádio CBN, no programa ‘Fato em Foco’, debati a ‘A questão indígena no Brasil’ com Joênia Batista de Carvalho, assessora jurídica do Conselho Indígena de Roraima (CIR), na oportunidade, afirmei que o indígena integrado precisava ser de fato, reconhecido como cidadão brasileiro. Joênia foi totalmente contrária à minha afirmativa, apelando para a preservação da cultura e outros tantos chavões, criados pelas ONGs indígenistas internacionais. Joênia e o CIR consideram que a cidadania é um óbice às suas pretensões dando claras demonstrações que além das terras se interessam, principalmente, pelas polpudas doações patrocinadas pelo alienado governo federal, fruto dos pesados tributos pagos pelos cidadãos brasileiros. O CIR reclama seus direitos mas, em contrapartida, não assume nenhuma obrigação ou dever para com o Estado. Os membros do CIR, definitivamente, não se consideram brasileiros.

As ações terroristas do CIR continuam contando o total apoio de membros da Igreja Católica e funcionários da FUNAI. O caos instalado exige que sejam tomadas medidas coercitivas que preservem a segurança e a integridade física dos dignos membros da SODIUR que, ao contrário dos facínoras do CIR, se consideram cidadãos brasileiros. Vamos publicar, na íntegra, um dos ‘Termos de Declaração’, que me foi enviado, de Roraima, com o objetivo de esclarecer a população brasileira a respeito das ações patrocinadas pelos guerrilheiros do CIR na TIRSS com a intenção de que se pressione as autoridades constituídas para que voltem a sua atenção para a situação insustentável que se ampliou desde a Demarcação contínua da TIRSS.

GOVERNO DO ESTADO DE RORAIMA

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA

“AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS”

Termo de Declaração I

“Aos dezenove dias do mês de março do ano de dois mil e dez, na Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Roraima, na presença da Delegada de Polícia Civil Eliane de Lima, comparece o nacional JOÃO VIANA DE ALMEIDA, brasileiro, Indígena da Comunidade Reforma – SODIUR, casado, portador do RG 68.612 SSP/RR, CPF 201.134.202-34, filho de Bernardo de Almeida e Colombina Viana de Almeida, nascido aos 10.09.1966, sabendo ler e escrever, declarou QUE: Nasceu na comunidade acima citada, é casado e pai de 4 (quatro) filhos, todos menores de idade; Que a Igreja Católica, por meio da IRMÃ AUGUSTA e um PADRE BEM MORENO, tem apoiado as Comunidades do CIR, incentivando-os a ficarem com as fazendas melhores, a praticarem delitos como furtos e ameaças contra os indígenas da SODIUR; que isso acontece porque o CIR apoiou a Igreja Católica na luta pela Homologação das Terras Indígenas; que o CIR diz que foram eles quem mais brigaram pela Homologação das Terras, então eles que têm o direito de ficar com o melhor; que foi feito um acordo entre todos os indígenas do Estado de Roraima, que os religiosos que não são indígenas, não poderiam residir nas comunidades, mas a IRMÃ AUGUSTA, não está respeitando o acordo e afronta os demais indígenas, e reside próximo ao Lago Caracaranã; que depois da homologação das terras Indígenas RAPOSA SERRA DO SOL, o problema entre os indígenas aumentou; que o CIR e a SODIUR começaram a se desentender devido à repartição das terras; que o CIR quer ficar com todas as fazendas, inclusive aquela que ficou para a SODIUR, a Fazenda Mangabrava; que, atualmente, há duas famílias da SODIUR residindo na Fazenda Mangabrava; que o Declarante é o TUXAUA da Comunidade que está residindo na Fazenda Mangabrava; que os pais de família que moram na Mangabrava são EDSON ESBEL e KENIS; que são aproximadamente 16 (dezesseis) indígenas que compõem a família que está morando na Mangabrava; que a Avó de EDSON, a Indígena ERNESTINA, a qual reside próxima a Mangabrava, possui 26 (vinte e seis) cabeças de gado; que os Indígenas que pertencem ao CIR estão furtando o gado de ERNESTINA, tendo ele registrado o Boletim de Ocorrência n.° 191/2009, em 10.09.2009; que o Declarante é o Tuxaua que representa a comunidade onde reside ERNESTINA; que o Declarante também foi vítima de furto de gado, crime este praticado pelos indígenas do CIR, tendo registrado o BO n.° 031/2010, em 24.02.2010; que foram furtados 03 (três) cavalos e 01 (uma) vaca; que no dia que sumiu a primeira vaca, outra vaca voltou para casa com uma flecha no pescoço; que os indígenas do CIR é que estão utilizando tais flechas; que vários outros animais voltaram pra sede à noite com flechas; que os integrantes do CIR já furtaram do Declarante 14 (quatorze) cabras, 06 (seis) porcos, 03 (três) cavalos e 01 (uma) vaca; que isso está prejudicando na manutenção e alimentação da comunidade, pois esses animais são criados para manterem a alimentação dos integrantes da comunidade; que apresentou as flechas ao Secretário de Segurança Pública Eliéser Girão Monteiro, o qual determinou que o Delegado Douglas Gabriel as apreendesse e tomasse as providências cabíveis a fim de esclarecer os fatos; que a comunidade da Reforma retirou madeira para construir casa na comunidade; que JACY BARNABÉ DE ALMEIDA FILHO, integrante da Comunidade do Lamero, e integrante do CIR, ameaçou JOSÉ VIANA DE ALMEIDA, dizendo que ‘SE TE PEGOU NO RIO, TRANSPORTANDO MADEIRA, VOU AFUNDAR O BARCO E QUEM TIVER NELE’; que JOSÉ VIANA, é irmão do Declarante e mora na comunidade em que o Declarante é Tuxaua; que já tentaram conversar com os representantes da Comunidade do Lamero para tentar negociar e resolver o problema dos furtos de animais e da ameaça, mas não tiveram entendimento porque o ex-Tuxaua do Lamero, JACY BARNABÉ, disse que com ele não tinha acordo e as coisas lá seriam do jeito que ele queria; que desde então não se falaram mais; que o CIR destruiu 02 (duas) casas na Comunidade da Reforma, pertencente à SODIUR; que o CIR quer retirar a força os indígenas de lá, destruindo suas casas e matando seus animais; que os integrantes do CIR que destruíram as casas são TUXAUA DELÉSIA, DIEIMIS, LEONARDO, AFONSO, JACY, BARNABÉ, RAIMUNDO, CAUBÍ e MADRE TERREZA; que RAIMUNDO é professor da Comunidade do CIR e tem sido um ‘dos cabeças’ do movimento contrário a SODIUR; que chegaram por volta das 16h, do dia 03.03.2010, derrubaram as duas casas; que a TUXAUA DELÉSIA disse que aquela área pertence ao CIR, o Declarante não tem Declaração de Tuxaua, não mandava nada lá e quem mandava era ela; que DELÉSIA é Tuxaua da Comunidade LAMERO; Que o Declarante já solicitou da FUNAI por várias vezes a Declaração de Tuxaua, mas a FUNAI está fazendo discriminação e não está dando a Declaração aos TUXAUAS que pertencem à SODIUR; que já foram com GONÇALO várias vezes, mas ele não dá as declarações e não toma providências; que o Presidente da SODIUR, SILVIO DA SILVA, tem acompanhado os problemas de perto e vai junto com os indígenas na FUNAI e nos postos, mas nem assim estão sendo atendidos; que este problema é enfrentado somente pelos integrantes da SODIUR, pois os integrante do CIR estão recebendo a Declaração na hora, que isso tem causado revolta nos indígenas que já não suportam mais tanta humilhação; que a FUNAI e o CIR tem recebido dinheiro FEDERAL para suprir as necessidades das Comunidades Indígenas, mas não estão repassando remédios, alimentação, transporte, escola etc., não dão nada e não assistem as comunidades que pertencem à SODIUR; que muitas crianças estão sem alimentação, desnutridas; que os indígenas da SODIUR estão tão revoltados que já falam em confronto se não resolverem o problema, não vão mais correr ou se calar, agora vão lutar. E nada mais disse nem lhe foi perguntado”.


Coronel de Engenharia Hiram Reis e Silva

Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA)

Acadêmico da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB)

Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS)

Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional

Site: http://www.amazoniaenossaselva.com.br

E-mail: hiramrs@terra.com.br




Ameaça de perda da Amazônia

Prezados amigos

Leia essa analise do Emb. Marcos Coimbra e constate as razões de não se poder mais permitir a permanencia de trairas no governo, que não tem medo de serem plotados e serem punidos por ato de TRAIÇÃO contra o BRASIL e contra sua população.

Pense nisto antes de votar.

Um abraço
Castello Branco


AMEAÇA DE PERDA DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Prof. Marcos Coimbra

Conselheiro Diretor do CEBRES, Professor de Economia na e Autor do livro Brasil Soberano.

Há muito tempo, neste espaço, bem como em nosso livro Brasil Soberano, em especial no seu capítulo 19, temos denunciado o real perigo de perda de parte do território nacional, em especial da Amazônia. A criminosa e traiçoeira demarcação das áreas indígenas Ianomâmi e Raposa/Serra do Sol, a assinatura, em 13 de setembro de 2007, da Declaração Universal dos Direitos dos Indígenas, aprovada pela ONU, com o voto favorável da representação brasileira e a crescente ação e reconhecimento, por parte das autoridades brasileiras, dos pretensos direitos dos quilombolas”, não são casuais. Fazem parte de um maquiavélico plano oriundo do exterior e aplicado pelos sicários a seu soldo. A partir daí a demarcação de terras indígenas assume o estágio de reservas indígenas , representando a última posição para transformação em nações indígenas. Ainda mais considerando que existe, no caso dos Ianomâmis, uma vasta região para eles, na faixa de fronteira contígua entre Venezuela e Brasil.

É evidente que não vamos perder a Amazônia de uma vez, com a direta intervenção militar de um país ou de um grupo de nações interessadas nas incomensuráveis riquezas existentes na região. A ação será efetivada como está sendo feita, de forma solerte, aos poucos, progressivamente, através da quinta coluna instalada até em órgãos governamentais, com a cumplicidade de autoridades governamentais enquistadas nos três poderes da República. O exemplo da “balcanização” da Iugoslávia e o recente reconhecimento pela ONU da independência do Kosovo abrem os precedentes perigosos. Muitas lideranças mundiais não aceitam o fato de o Brasil possuir mais de 8.500.000 km², sendo ainda detentor de recursos naturais abundantes e vitais, cobiçados por outros países, da ordem de trilhões de dólares.

Uma maneira ardilosa de alcançar seus objetivos nefastos é proceder como estão fazendo. Criando conflitos étnicos, por intermédio da racialização, discriminando brasileiros, em função da cor da pele, gerando as sementes de conflitos nunca antes existentes no país, exemplo de democracia racial para o mundo. Jogando brancos contra negros, negros contra índios e estes contra os brancos, com a imposição de cotas e a aprovação de um estatuto da igualdade social, que é de fato gerador de desigualdades sociais, atingindo violentamente o branco pobre. Incentivam o choque de fiéis de diversas religiões. Glorificam o homossexualismo. Provocam idéias separatistas em um país como o nosso, que tem apenas uma língua, sem conflitos sérios até agora, de qualquer ordem, como os existentes nos demais componentes dos BRICs. Em suma, pretendem dividir, acabar com a Paz Social para obter a desintegração do Patrimônio Nacional.

A quem interessa este caos? Nossas crianças estão saindo analfabetas funcionais após nove anos de estudo, sem conhecer elementos rudimentares de matemática e da língua portuguesa. Qualquer educador sabe que o ensino fundamental é vital e seu fortalecimento é indispensável para um sadio e promissor desenvolvimento do educando, não só no ensino médio, como também no superior. E a solução vai ser obrigar os alunos a estudar sociologia, filosofia e história da África, quando nem escrever corretamente sabem.

O jornalista Jorge Serrão em seu blog do dia 26.07.10 informa: “O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República não vai se pronunciar oficialmente sobre um relatório reservado que recebeu da Agência Brasileira de Inteligência, advertindo sobre a real possibilidade de quebra da integridade do patrimônio nacional, com o movimento para a criação de um Estado indígena independente em Roraima. A mídia amestrada pelas verbas públicas do governo e suas estatais recebeu orientações do Palácio do Planalto para omitir do noticiário ou não jogar uma carga editorial pesada sobre o assunto. Os militares da ativa também devem manter silêncio obsequioso sobre o caso. No relatório, a Abin adverte ao GSI que governos estrangeiros e ONGs têm interesse e dão apoio ao Conselho Indígena de Roraima em sua ação para defender, abertamente, a ampliação e demarcação de outras áreas indígenas.

A Abin destaca, no relatório, que a Intenção do CIR é transformar a reserva Raposa do Sol no primeiro território autônomo indígena do Brasil. A Abin teme que o próximo Congresso (ou o atual, a toque de caixa, no apagar das luzes) ratifique a Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, assinada em 2007, pelo governo brasileiro, na ONU, que dá status de “independência” aos territórios indígenas”.

E acrescenta: “que a Polícia Federal investiga possíveis abusos de violência, invasão a residências, prisões ilegais, tortura e até homicídios praticados pela milícia indígena auto-intitulada “Polícia Indígena do Alto Solimões (Piasol)”. E mais: “O próprio Exército, a Abin e a Polícia Federal também investigam uma suposta ligação dos indígenas com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que já estão no fogo lento do debate na sucessão presidencial, pelas ligações do PT com o Foro de São Paulo, organismo que simpatiza com os narcoguerrilheiros colombianos. No Palácio do Planalto, a ordem gerada pelo Ministério da Defesa para o Forte Apache é que o Comando Militar da Amazônia não intervenha”.

Estes informes são, em grande parte, validados por um experiente militar da área de inteligência, combatente de elite e analista com vasto conhecimento do assunto, inclusive por ter servido na região em posição de destaque, a quem não nomeamos por razões óbvias. Urge que todos nós, brasileiros, além de divulgar estes fatos, lutemos para impedir sua concretização. Afinal, o Brasil é dos brasileiros! Caso permaneçamos indiferentes, ausentes, medrosos, nossos filhos terão o direito de cobrar-nos: Por que não fomos capazes de, além de doar nossas vidas em defesa do que recebemos dos nossos antepassados, dar-lhes razão para continuarem a viver desfrutando de todas estas valiosas benesses, capazes de garantir ao nosso país uma posição de destaque no cenário mundial?

Fonte: Correio eletrônico: mcoimbra@antares.com.br

Página: www.brasilsoberano.com.br(Artigo escrito em 27.07.10 para o MM).


sexta-feira, 23 de julho de 2010

A Revolução Silenciosa - Diego Casagrande

Prezados amigos

Leia com atenção o artigo de um dos mais renomados jornalistas DEFENSOR da DEMOCRACIA e verifiquem o PERIGO que já estamos correndo por não mais haver HOMENS dispostos a lutar contra a OPRESSÃO que está sendo montada contra a população Ordeira do nosso Brasil.

O que está transcrito é a mais pura verdade.

Leia e conclua. O que você está fazendo para salvar o Brasil?

Abraço fraterno. Castello Branco


Você pode não acreditar! Mas existe e está acontecendo.

Infelizmente o futuro vai confirmar tudo isso.

Leiam com muita atenção e façam um grande esforço para pensar que isto é tudo mentira. Vocês dormirão melhor.

O problema é que isto não vai mudar a amarga realidade do nosso país.

Não espere tanques, fuzis e estado de sítio.
Não espere campos de concentração e emissoras de rádio, tevês e as redações ocupadas pelos agentes da supressão das liberdades.
Não espere tanques nas ruas.
Não espere os oficiais do regime com uniformes verdes e estrelinha vermelha circulando nas cidades.
Não espere nada diferente do que estamos vendo há pelo menos duas décadas.
Não espere porque você não vai encontrar, ao menos por enquanto.
A revolução comunista no Brasil já começou e não tem a face historicamente conhecida.
Ela é bem diferente.
É hoje silenciosa e sorrateira.
Sua meta é o subdesenvolvimento.
Sua meta é que não possamos decolar.
Age na degradação dos princípios e do pensar das pessoas.
Corrói a valoração do trabalho honesto, da pesquisa e da ordem.
Para seus líderes, sociedade onde é preciso ser ordeiro não é democrática.
Para seus pregadores, país onde há mais deveres do que direitos não serve.
Tem que ser o contrário para que mais parasitas se nutram do Estado e de suas indenizações.
Essa revolução impede as pessoas de sonharem com uma vida econômica melhor, porque quem cresce na vida,
quem começa a ter mais, deixa de ser "humano" e passa a ser um capitalista safado e explorador dos outros.
Ter é incompatível com o ser. Esse é o princípio que estamos presenciando.
Todos têm de acreditar nesses valores deturpados que só impedem a evolução das pessoas e, por consequência, o despertar de um país e de um povo que deveriam estar lá na frente.
Vai ser triste ver o uso político-ideológico que as escolas brasileiras farão das disciplinas de filosofia e sociologia, tornadas obrigatórias no ensino médio a partir do ano que vem.
A decisão é do ministério da Educação, onde não são poucos os adoradores do regime cubano mantidos com dinheiro público.
Quando a norma entrar em vigor, será uma farra para aqueles que sonham com uma sociedade cada vez menos livre, mais estatizada e onde o moderno é circular com a camiseta de um idiota totalitário como Che Guevara.
A constatação que faço é simples.
Hoje, mesmo sem essa malfadada determinação governamental - que é óbvio faz parte da revolução silenciosa - as crianças brasileiras já sofrem um bombardeio ideológico diário.
Elas vêm sendo submetidas ao lixo pedagógico do socialismo, do mofo, do atraso, que vê no coletivismo econômico a saída para todos os males.
E pouco importa que este modelo não tenha produzido uma única nação onde suas práticas melhoraram a vida da maioria da população. Ao contrário, ele sempre descamba para o genocídio ou a pobreza absoluta para quase todos.
No Brasil, são as escolas os principais agentes do serviço sujo. São elas as donas da lavagem cerebral da revolução silenciosa. Há exceções, é claro, que se perdem na bruma dos simpatizantes vermelhos.
Perdi a conta de quantas vezes já denunciei nos espaços que ocupo no rádio, tevê e internet,
escolas caras de Porto Alegre recebendo freis betos e mantendo professores que ensinam às cabecinhas em formação que o bandido não é o que invade e destrói a produção, e sim o invadido, um facínora que "tem" e é "dono" de algo, enquanto outros nada têm. Como se houvesse relação de causa e efeito.
Recebi de Bagé, interior do Rio Grande do Sul,
o livro "Geografia", obrigatório na 5ª série do primeiro grau no Colégio Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora. Os autores são Antonio Aparecido e Hugo Montenegro.
O Auxiliadora é uma escola tradicional na região, que fica em frente à praça central da cidade e onde muita gente boa se esforça para manter os filhos buscando uma educação de qualidade.
Através desse livro, as crianças
aprendem que propriedades grandes são de "alguns" e que assentamentos e pequenas propriedades familiares "são de todos".
Aprendem que
"trabalhar livre, sem patrão" é "benefício de toda a comunidade".
Aprendem que
assentamentos são "uma forma de organização mais solidária... do que nas grandes propriedades rurais".
E também
aprendem a ler um enorme texto de... adivinhe quem? João Pedro Stédile, o líder do criminoso MST que há pouco tempo sugeriu o assassinato dos produtores rurais brasileiros.
O mesmo líder que incentiva
a invasão, destruição e o roubo do que aos outros pertence. Ele relata como funciona o movimento e se embriaga em palavras ao descrever que "meninos e meninas, a nova geração de assentados... formam filas na frente da escola, cantam o hino do Movimento dos Sem-Terra e assistem ao hasteamento da bandeira do MST".
Essa é
A revolução silenciosa a que me refiro, que faz um texto lixo dentro de um livro lixo parar na mesa de crianças, cujas consciências em formação deveriam ser respeitadas.
Nada mais totalitário.
Nada mais antidemocrático.
Serviria direitinho em uma escola de inspiração nazi-fascista.
Tristes são as conseqüências.
Um grupo de pais está indignado com a escola, mas não consegue se organizar minimamente para protestar e tirar essa porcaria travestida de livro didático do currículo do colégio.
Alguns até reclamam, mas muitos que se tocaram da
podridão travestida de ensino têm vergonha de serem vistos como diferentes. Eles não são minoria, eles não estão errados, mas sentem-se assim.
A revolução silenciosa avança e o guarda de quarteirão é o medo do que possam pensar deles.
O antídoto para A revolução silenciosa?

Botar a boca no trombone, alertar, denunciar, fazer pensar, incomodar os agentes da Stazi silenciosa.
Não há silêncio que resista ao barulho.

Diego Casagrande, jornalista - Porto Alegre/RS

terça-feira, 13 de julho de 2010

VERGONHA



http://1.bp.blogspot.com/_2HFE9v9JMGY/TDZD-qEioKI/AAAAAAAAJf8/fPQjcZb5nnc/s400/Copa+e+Bandeira+Vermelha.jpg

O símbolo da Copa do Mundo, criado pelo governo do PT, do Lula e da Dilma, significam a bandeira do Brasil sem o azul. O que estamos vendo é um crime contra o maior símbolo da nossa Pátria. Realizar uma Copa do Mundo gastando R$ 30 bilhões, em vez de construir 1.000 hospitais de R$ 30 milhões, 5.000 escolas de R$ 6 milhões ou 10.000 creches de R$ 3 milhões, somente se justifica se for para mostrar para todo o planeta a força, a beleza e o patriotismo de um país. As cores do Brasil são o verde, amarelo, azul e branco. O PT, o Lula e a Dilma roubaram o céu da nossa bandeira. Tingiram o nosso azul com o sangue do socialismo e do comunismo. Devolvam já a nossa bandeira. Ela pertence a um povo e não a um grupelho incrustado no poder. Faça da nossa revolta a revolta do Brasil. Espalhe, grite, defenda a nossa bandeira!



VERGONHA

Hoje, ao ver o símbolo (logotipo) da Copa do Mundo, que teremos a ingrata missão de sediar, criado pelo governo do PT, quase fomos às lágrimas. Lá estavam o verde, o amarelo e o branco, mas o azul? Cadê o azul? De onde saiu o vermelho?

O ano do evento, nada mais natural, para não dizer obrigatório, que ele fosse ornado com a bela cor azul, completando-se no logotipo o arco-iris das belas cores que ilustram a nossa Bandeira.

No início um estupor, depois a indignação, a seguir uma tristeza imensa, dorida, impotente

A que ponto chegamos; a que ponto eles chegaram.

Deplorável, medonho, incrível, lamentável.

Sim, a que ponto chegamos. Como podemos admitir a conspurcação do mais lídimo símbolo nacional?

Sim, a que ponto eles chegaram.

Deles, nada a estranhar, pois tantas já aprontaram, e pelo tenebroso acinte, muitas desconsiderações haveremos de engolir.

Recentemente, a “metamorfose ambulante” sentenciou, em ato público, que não temos heróis. Este é o processo de desconstrução da Pátria, aos poucos, solerte, e nas entrelinhas.

Pobres de nós, sempre surpreendidos por violentos socos em nossa dignidade, na nossa brasilidade, sem que se ouça, nada além de gemidos esparsos, envergonhados, tímidos.

Do nosso jardim de há muito arrancaram as rosas, as orquídeas, as viçosas flores que nos encantavam e, certamente, encantariam as nossas futuras gerações. No seu lugar, lúgubres e retorcidas urzes.

Ainda não invadiram as nossas casas, mas em breve invadirão.

Invadiram as nossas mentes e, provavelmente, os nossos olhos, pois ao mirarmos o resplandecente céu azul que ornamenta a nossa querida Bandeira, no seu lugar, pasmem, vemos uma imensa mancha vermelha.

Que vergonha. Pra onde foi o céu da nossa terra? Escamoteado?

A cada dia uma desdita, a cada momento uma tristeza, a cada instante um novo temor pelo que virá.

Por favor, afastem de nós este cálice.

Mesmo o povo brasileiro, fã incondicional de brincadeiras e folguedos, inconseqüente por vezes, desatento amiúde, nem ele, na sua cínica inocência merece ver tão vilipendiado e desprestigiado o azul de sua Bandeira.

Meu senhor, que vergonha.

Quantas desventuras a mais teremos que suportar, diante da ganância, diante do total despudor de indivíduos e grupelhos capazes de desvirtuar os símbolos mais caros de uma nação, simplesmente para dar a vazão às suas míseras e retrógradas crenças ideológicas.

- “Por favor, afastem de mim este cálice”.

Lamentou–se o cidadão ao ver, sem acreditar, o alienígena logotipo.

Brasília, DF, 10 de julho de 2010

Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira



Amigos

No ponto a que chegamos, já não é para assustar a mais ninguém, por terem no Símbolo da COPA DE 2014 substituído o Azul da nossa Bandeira pelo Vermelho do Comunismo do PT, do Lula e da Dilma e demais asseclas, quando no logo do governo Lula há 08 anos o logotipo do governo petista é a palavra Brasil com o L em vermelho e a sociedade não fez nada até agora.

O que se vê é a massificação muito rápida para termos o Regime comunista implantado no nosso país a curto prazo, hoje usa-se o domínio das mentes.

Já se faz necessária a reação de "HORROR" dos homens Direitos e Democratas do país pela substituição daquela cor vermelha,

Há que se dar um fim a caminhada dos traidores da pátria e da população.

Que as Forças Armadas, a OAB, a CNBB, a Maçonaria, enfim a sociedade brasileira pense, reflita e reaja.

Abraço fraterno

Castello Branco


“UMA VEZ MAIS, O GOVERNO LULA PREFERIU A DITADURA À DEMOCRACIA”

Na hora de votar lembre-se que normalmente a "cria assume os costumes do seu criador".
Lula se juntou e aprovou as piores ditaduras mundiais, está claro que ele acredita nesse tipo de governo e facilmente poderá tentar implanta-lo através de sua candidata Dilma.

Se acha que não, faça uma retrospectiva dos anos de governo do PT e veja o que resta para a guerrilheira. Não esqueça a legislação ditatorial já aprovada.


O DEM emitiu uma nota em que saúda a libertação de presos políticos cubanos, lamenta a existência de outras pessoas encarceradas por crimes de opinião e condena o detestável comportamento do governo Lula em relação a Cuba. O silêncio dos políticos brasileiros sobre os crimes da ditadura cubana começa a gritar.

COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL DEMOCRATAS -

NOTA OFICIAL

DEM: LULA PREFERE DITADURA À DEMOCRACIA

Além de saudar a jornada bem-sucedida empreendida pela Igreja Católica e pelo governo da Espanha, que deve resultar na libertação de 52 presos políticos de Cuba, a Comissão Executiva Nacional do Democratas vem a público lamentar, desde logo, que, ao fim dessa jornada, restarão ainda mais de 100 pessoas encarceradas por crimes de consciência naquele país.

Tanto quanto é preciso aplaudir os que participaram da negociação, cumpre lamentar o triste papel desempenhado pelo governo brasileiro nesse episódio. Tivesse o governo do Brasil apenas se omitido, já seria detestável, mas, infelizmente, seu papel foi muito além da omissão.

Por pensamentos, atos e palavras, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o papel de fiador e porta-voz da ditadura cubana. No caso dos presos políticos, assombrou o mundo com uma afirmação infeliz, que manchará por muito tempo a reputação do Brasil na luta em favor dos direitos humanos: comparou os presos políticos e aqueles que lutam por liberdade a bandidos.

O Brasil, assim, na condição de líder da América Latina, fez ouvir a sua voz em defesa de um regime discricionário, que, em vez de reconhecer a legitimidade de seus opositores, prefere encarcerá-los.

Se tal comportamento do governo brasileiro causa consternação à consciência democrática, forçoso é admitir que ele nada tem de surpreendente. O Brasil é hoje reconhecido no mundo pela pujança de sua economia e pelo vigor de seu povo, mas seu presidente não é menos reconhecido por confraternizar com ditadores, onde quer que eles estejam.

O Democratas expressa sua solidariedade ao povo cubano, reitera seu compromisso com a intransigente defesa dos direitos humanos e lastima que o governo Lula, uma vez mais, tenha preferido a ditadura à democracia.

Brasília, 9 de julho de 2010

Rodrigo Maia
Presidente

CAMPANHA PELO AZUL DO BRASIL.

Eu já aderi.


Temos que esclarecer a todos os níveis da sociedade.
O assunto é muito importante, não podemos deixar de manter acesa a chama da democracia e não permitir que os vermelhos que já estão no poder continuem a sua massificação subliminar.


O QUE ESSE NÚMERO EM VERMELHO está fazendo no logotipo da Copa 2014?

VAMOS FAZER CAMPANHA PARA MUDAR O VERMELHO PARA O AZUL DO BRASIL!
NOSSAS CORES SÃO: VERDE, AMARELO, AZUL E BRANCO!





- 2014 em vermelho? Por quê

Sempre pensei que as cores nacionais fossem verde, amarelo, azul e branco...
O que faz esse 2014 em VERMELHO?
Esse pessoal é terrivel, cuidado fiquem atentos, não vote em candidatos com a ficha suja.




sexta-feira, 9 de julho de 2010

ENSINO NOS COLÉGIOS MILITARES ÚLTIMAS CONSIDERAÇÕES.

No mês próximo passado o Grupo Guararapes em documento divulgou um alerta a sociedade brasileira informando sobre o ódio que começava a despertar na esquerda brasileira, que os educandários militares (Colégios Militares) continuavam a ensinar aos jovens a verdadeira história brasileira, e não as mentiras deturpadas que são impingidas aos jovens brasileiros.

Com o resultado oficial abaixo transcrito, cremos encerrar esse assunto, embora falte o resultado de três estabelecimentos de ensino. Mais uma vez os militares demonstram o seu valor. Parabéns a todos que direta ou indiretamente colaboram na formação do nosso jovem.

Castello Branco

O GRUPO GUARARAPES tomou conhecimento do resultado oficial do INEP,
divulgado no dia 1 de julho do corrente ano. É um orgulho para as nossas Forças Armadas o resultado apresentado. Faltam o resultado de 3 Colégios, mas dos noves somos os PRIMEIROS NOS SETE MUNICÍPIOS ONDE ESTÃO LOCALIZADOS, NOS ESTADOS EM CINCO E NO PAÍS A CLASSIFICAÇÃO É HONROSA.
AS FORÇAS ARMADAS BRASILEIRAS sempre se preocuparam na formação do jovem, pois é na educação de sua juventude que se encontra o nosso futuro. Nos COLÉGIOS MILITARES ensinam-se os valores morais, a amar a Pátria, respeitar os idosos, pensar na sociedade ser um CIDADÃO.
Feliz da família que coloca seus filhos para estudar no Colégio Militar.
Ele será um homem. Querem resolver o ensino no Brasil criem mais Colégios
Militares.
Nossas Escolas formam homens e técnicos da melhor qualidade. Honra ao
Ensino Militar. Nossos exemplos dignificam o ensino brasileiro. As
Academias das Forças Armadas, os Colégios Militares, o IME, o ITA são
Escolas de Excelência.
AMA A PÁTRIA QUE AMA A CULTURA E DEFENDE A VERDADE COMO SUSTENTÁCULO DA SOCIEDADE.


GRUPO GUARARAPES

Resultado do Sistema Colégio Militar do Brasil no IDEB 2009
Diretoria de Ensino Preparatório e Assistencial

O Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) divulgaram no dia 1º de julho o resultado nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB 2009.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) foi criado pelo INEP em 2007 e representa a iniciativa pioneira de reunir num só indicador dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações. O indicador é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e médias de desempenho nas avaliações do INEP, o SAEB – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.
Mais uma vez, os Colégios Militares que compõem o Sistema Colégio Militar do Brasil (SCMB) alcançaram expressivos resultados no ano de 2009, comprovando a excelência da educação no nosso sistema de ensino, ocupando cinco dos oito lugares entre as escolas de melhor desempenho nacional, conforme retrata o quadro abaixo:

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB (2009)
Ensino Fundamental

CM

IDEB

Classificação

Município

Estado

Nacional

CMSM

7.3

CMCG

7.1

CMS

7.1

CMF

6.9

CMC

6.9

CMR

6.6

17º

CMRJ

6.4

30º

CMPA

6.2

51º

CMM

6.0

79º

Fonte: MEC/INEP

A Diretoria de Ensino Preparatório e Assistencial (DEPA), que coordena e supervisiona a educação básica e a avaliação do processo ensino-aprendizagem nos Colégios Militares, segue investindo na educação integral e parabeniza todos os discentes, docentes e agentes de ensino que contribuíram para mais essa conquista.